Felipe Mafra

Encare as entrevistas de emprego de uma forma suave

Tenho 36 anos e a “sorte” de nunca ter ficado desempregado. Quando mudei de emprego, sempre decidi sair.
Os motivos foram diversos. Não me sentia valorizado, o trabalho caiu na rotina e tornou-se pouco desafiador, não havia espaço para crescer ou tive que mudar para alguma empresa mais próxima da minha residência. Não me acho um profissional excelente em termos de inteligência, e mais do que não me achar, sei que não sou. Então compenso essa deficiência com comprometimento. É claro que algumas vagas não cabem no meu perfil e eu mitigo esse risco analisando isso anteriormente. A posição é uma vaga de alto risco? Ou seja: Tenho que analisar muito rápido e responder mais rápido ainda? Ou é algo com que eu tenha um projeto, um escopo definido e tempo para desenvolver? Então é nessa que eu vou.

Mas como eu na maioria das vezes passo? Simples. Sou honesto. Mas não confundam a honestidade com a sinceridade em excesso. Realmente não tenho como diferenciar isso para vocês, já que é algo muito abastrato, mas vocês tem que medir.

Ser honesto é relatar ao seu recrutador: -Olha, eu não sei fazer isso, ou tenho pouca experiência, mas se
houver tempo hábil, eu estudo e dou conta.

Pronto. Você foi honesto e ainda demonstrou disposição e boa vontade. Muitas empresas seguem a linha: Contrate o caráter e treine as habilidades. Portanto, seja íntegro. Não minta. No máximo, potencialize. Analise se você
tem algum tempo para bater o assunto que você não domina tanto no liquidificador e tomar no café da manhã, almoço e janta, todos os dias até ter que executá-lo.

Outra dica importante é: Pergunte sempre se haverá um profissional sênior ou consultor para lhe passar experiência e ajuda. Muitas vezes você não domina o assunto, mas o que a empresa busca é justamente alguém sem vícios para ser treinado.

Fugindo um pouco das habilidades técnicas e partindo para comportamento: Controle o nervosismo. Entenda que uma entrevista é um bate papo. Se você reprovar, não será o primeiro, e não será a última vez. Há inúmeras vagas par TI, em todos os níveis. Mantenha-se calmo e converse com o seu recrutador. Passe a sua experiência, converse sobre os projetos que já executou, diga o que gostou e o que não gostou, e NUNCA, nunca fale mal da sua empresa anterior. Saiba dizer com sutileza o motivo da demissão anterior.

Algo que nunca falha é: Estude a empresa que vai lhe entrevistar! Entre no site, analise o seu negócio, seus
pontos fortes e fracos e tenha na ponta da língua essas respostas:

O que você acha que pode melhorar na empresa?
Do que você mais gostou na empresa?

Voltando ao aspecto técnico: Treine! Treine muito em casa! Cursos, livros e mão na massa! Muitas vezes o que
pedem você já fez em casa e tem somente que adaptar, e fica muito mais fácil! Outra dica de ouro é:
Às vezes o pagamento não é só financeiro. Aprender algo que custa caro no mercado é uma excelente forma de valorizar-se. Então aproveite as empresas que oferecem diversas formas de aprendizado, seja com cursos ou treinamentos internos.

Em resumo, muito, muito bom senso.

E boa sorte!

O curso completo de Banco de Dados e SQL, sem mistérios

Comentários

Close Menu